Desabafo de uma fã orfã - Um ano depois





Faz um ano que escrevi esse texto. Lembro que foi um dia dificil. Um dia chato no trabalho, e a noite que se seguiu não ajudou muito. Hoje, se me perguntarem os maiores choques que tomei na vida, posso claramente dizer que a passagem de MJ foi um deles. Lembro que fui trabalhar cabisbaixa, com uma camiseta que minha irmã ganhou dos meus pais em 1993, no show que Michael Jackson fez aqui no Brasil. Aguentei piadinhas idiotas de um pessoal que trabalhava comigo, mas o que me fazia continuar trabalhando sem xingar ninguém eram os comentários que deixavam nesse post, de um ano atrás.


Um ano inteiro se foi, já mudei de emprego duas vezes, tenho as minhas próprias camisetas do Michael Jackson. Mas tenho que confessar que algumas coisas permanecem: ainda defendo Michael Jackson como se fosse um parente meu, ainda não consigo relacionar a palavra "morte" com seu nome e ainda não sei falar dele no passado. Talvez por ele estar tão presente na minha vida. Talvez por eu carregar para cima e para baixo uma bolsa com três Michael Jacksons pendurados. Talvez porque quando alguém me liga, o que toca no celular é Michael Jackson. Talvez porque quando entro no carro do meu namorado, o que passa lá é Michael Jackson. Não sei. Só sei que, assim como quando eu tinha 6 anos, Michael está presente diariamente na minha vida.


É engraçado, qualquer filmagem que você pegar da minha família, você encontra Michael Jackson de fundo. Viagens, festas de aniversário, até a gente assistindo a copa: em algum momento você vai escutar um som com Michael Jackson. Minha infância foi assim. Lembro de reunirmos as meninas do prédio para inventar coreografias para as músicas do MJ. Era Off The Wall, Thriller e Bad em fita K7 e Dangerous em CD, porque assim, o CD ainda estava surgindo. Lembro que eu realmente não me importava se ele era negro ou branco. Para mim, não fazia a menor diferença se na capa do Off The Wall e do Thriller ele estava negro e em Bad e Dangerous, branco. Para mim era normal. Ele disse em uma entrevista que tinha vitiligo? Acreditei. Simples. No meu prédio tinha um senhor negro que também tinha vitiligo. Achava estranha a pele dele toda manchada. Lembro que pensava "por que ele não faz que nem o Michael e já acelera tudo?". Hoje em dia, ele já está bem branco. Ninguém nunca perguntou para ele se ele tem algo contra sua raça. Aliás, contra sua cor, pois todos somos da raça humana. Diria que o rap de Black or White já responde essa questão.

"Proteção para gangues, clubes e nações, causando aflição nas relações humanas. É uma guerra de territórios numa escala global, eu preferiria ouvir os dois lados dessa história... Veja, não se trata de raças,
apenas lugares, rostos. Onde seu sangue vem, é onde fica o seu lugar. Eu já vi o brilhante ficar mais opaco. Eu não vou passar a minha vida sendo uma cor".


Lembro que via as histórias sobre pedofilia no jornal e simplesmente acreditava no Michael. Não questionava. Não sei explicar, ele me passava uma inocência, uma cumplicidade, era impossível para mim pensar que ele poderia fazer mal para alguma criança. Meus pais também nunca acreditaram. Isso porque na época eu tinha menos de dez anos. Dez anos depois, Michael foi julgado, foram três meses desgastantes de julgamento, promotoria tentando provar qualquer coisa contra ele, Estado doido para prender o maior astro do planeta. O que aconteceu no fim? Inocentado de todas as acusações. Não, ele não comprou ninguém. Ele já estava endividado nessa época, com todo dinheiro que tiraram dele. Simplesmente não conseguiram provar nem embriaguez no homem. E no fim, presa foi a mãe do menino que acusou MJ de pedofilia. Por fraude.


É muito fácil julgar, é muito simples enxergar maldade em tudo. Vivemos em uma sociedade na qual você é culpado até que provem que você é inocente. Isso se você não continuar culpado depois disso. Você, por um acaso, já parou para pensar na vida de Michael Jackson? Livre-se de preconceitos, pense nele como uma pessoa. Como uma pessoa que foi obrigada a trabalhar desde os 5 anos. Como uma pessoa com um pai rude, que batia, que assustava, que criticava. Como uma pessoa que teve sua aparência julgada por aqueles que deveriam o amar. Como uma pessoa que cresceu aos olhos do mundo, sem poder crescer por dentro. As vezes enxergo MJ como uma criança que você joga no meio da multidão, sem pai, sem mãe, sem ninguém, e pede para se virar. Sozinho. Solitário.


Michael tinha algo único em seu olhar, enxergava o mundo com uma inocência que as pessoas simplesmente não estão acostumadas. Era um grande artista, fenomenal, não se compara. Mas uma pessoa frágil. Imagina você ter tido uma infância e adolescência conturbada, e depois ter pedras atiradas do mundo inteiro sem nem saber o porquê? Michael nunca teve um momento de descanso, de paz. Nem mesmo depois de sua passagem. Assisto à documentários e minha vontade de dar um abraço nele só aumenta. Você ficaria feliz com o mundo inteiro te chamando de louco? Te criticando? Afinal, quem foi o imbecil que inventou o tal do Wacko Jacko? Aliás, fica um recado: se qualquer dia desses você decidir homenagear Michael Jackson, nunca, em hipótese nenhuma, o chame de "Jacko", ok? É Michael.


As pessoas esquecem que por trás do mega artista tem uma pessoa. Com sentimentos. De carne e osso. Igual a gente. Uma pena que não souberam dar valor ao pequeno menino que só queria salvar o mundo. Assista This is It. Você consegue ver o mal que o pai de Michael fez para a cabeça dele. Michael é um super profissional, perfeccionista, mas tem medo que sua equipe o entenda mal. É tudo "com amor", "por amor", "por isso que a gente ensaia". Talvez os anos de ensaio ao berros e surras que teve na infância ô fez ter medo de tudo.


Ainda a impressão que tenho é que Deus colocou Michael no mundo para nos fazer mais felizes. Bem do tipo "vai lá meu filho, canta, dance, faça os dias desse pessoal mais alegre, mas volte logo. Essa será sua missão". Não adianta, Michael já foi eternizado. As crianças de hoje em dia já estão se tornando fãs. Meus filhos? Fácil, serão fãs. Meus netos, no que depender de mim, ouvirão Michael Jackson. Mas só eu poderei dizer que vivi na mesma época de Michael Jackson. Vi o mito. E acompanhei de perto o dia em que Michael conseguiu derrubar o mundo. Derrubou o twitter, o google, as emissoras, os jornalistas, e os fãs, inconsoláveis. O que acompanhamos em junho de 2009 é algo que nunca mais irá acontecer. Nenhum outro artista causará essa comoção em sua passagem. Isso é coisa de mito. Isso é coisa de rei.

Post longo mais uma vez. Post fora do tema do blog mais uma vez. Mas são coisas que Michael Jackson faz você fazer. Não tem como deixar em branco essa data. E mais uma vez não, não foi Elvis que não morreu. Foi Michael. Pois é, ainda não acredito.






Leia também

Michael Jackson - King of Pop, Rock and Soul - depoimento de um fanático recente (yes, my Boyfriend). Ou simplesmente o depoimento de um fanático por música.

Michael Jackson fazendo bem até para sua saúde - depoimento da irmã fisioterapeuta, fã há 17 anos e responsável pela overdose de Michael Jackson na minha vida.

Cai Muita Garoa


17 comentários:

Anônimo disse...

esta materia foi divulgada por um usuario no odd10 participe desta nova rede social de troca de informações, alem de ser uma otima ferramenta para interagir com outras pessoas, serve tambem para atrair mais visitantes para seu blog/site. se seu conteudo chegar a primeira pagina aumenta muito o trafego para seu blog/site. Participe desta familia que não para de crescer.

Bruno disse...

sensacional o texto de verdade... concordo em gênero, número e grau com tudo o que vc disse, também enxergo a mesma inocência nele, sempre defendi como vc fez.Parabéns pelo texto, de um fã de Michael que também está reflexivo um ano depois.

Anônimo disse...

silvia_psi

@Caimuitachuva parabéns pelo texto, MJ era HUMANO e merece todo respeito pois conseguia alcançar almas!!

Isa disse...

Que texto mais emocionante...lindo!!
É mto bom saber que tem mais gente que sente que MJ não morreu!
Mto mais interessante foi ler o seu texto e ao mesmo tempo assistir aos clipes dele na Mtv, do que assistir ao jogo Brasil x Portugal.
Pena que com a copa as pessoas não estão dando a devida atenção a MJ nesse um ano de sua falta...

Carol disse...

Me arrepio toda quando leio um texto teu sobre o MJ!
E juro, eu não via ele com os mesmos olhos que tu, aliás, acho que nunca tinha parado para pensar em todos esses aspectos... apesar de nunca ter acreditado nas denúncias de pedofilia e tal.
Mas depois de junho de 2009, de ler teus textos aqui e no Cai Muita Garoa... de ter uma chefe que AMA MJ! E, principalmente, depois de assistir This is it, posso dizer que concordo com tudo que escreveste aqui :)
É realmente uma pena que ele tenha ido tão cedo, mas a obra fica, o mito continua... e MJ viverá por muito tempo com os fãs dele!

Beijos!

Mokka disse...

Faz tempo que não comento aqui, mas tenho acompanhado o blog sempre ;) o texto é emocionante, chorei lendo.. Me lembrei do meu dia há 1 ano, eu tava num campeonato, num alojamento.. sem tv, fikei sabendo por telefone e não acreditei.. Nunca fui uma grande fã, mas sempre gostei do MJ ;) Hoje quando dou aula de dança sempre levo músicas do Michael e me sinto muito triste quando um aluno meu desdenha o artista. Nem todos tem consciencia do que esse cara fez pela música, pela dança, pela arte ;)

bejoo ANinha!

Rosa disse...

Sem palavras.
Saudades de você, Michael!

Belíssimo texto, Aninha.

Aline disse...

Oi, muito legal o blog. Já estou seguindo.

Sidnea disse...

Belo texto!
Tenho certeza que o Michael cumpriu uma missão belíssima aqui na terra.
Uma pena que tenha sido tão incompreendido. Um genio, que fez tantas coisas lindas, ajudou tantas pessoas, espalhou tanto amor e foi criticado de uma forma tão impiedosa.
Infelizmente, o mundo não estava preparado prá ele.

Dea Carvalho disse...

Ô, Aninha... faz isso comigo não. É feio chutar cachorro morto, sabia...
:´(

Suh disse...

Nossa! Fantástico o seu texto. Primeira vez que vejo uma fã falando de uma forma tão bonita. Geralmente vejo fãs enlouquecidos. Parabéns!!

Marianna disse...

Sem dúvidas, o texto mais lindo, sincero e emocionante sobre o Rei. Obrigada.

Rê disse...

(snif) Êêê Aninha... quando eu disse que você escreveria o melhor texto sobre MJ (lembra? "A-ni-nha, A-ni-nha"), eu sabia que seria lindo, mas você superou todas as minhas epectativas. Muito obrigada pelo presente que foi ler esse texto. Te amo, viu?

Carlinha disse...

Passei aqui pra dizer que estou chorando... ao som de smooht criminal, minha preferida...

Carlinha disse...

Daoooooooooonde que esse homem morreu?
Nao deve (nao PODE) ser verdade.

Alan disse...

Oi gostei do teu texto achei ele pelo twitter que agora é meu seguidor, também no meu site tem umas materias que não consigui terminar desde o dia 25 mais passa la e comment =D

Cammys disse...

Poxa adorei o texto!
Disse tudo, mas tudo mesmo, e concordo com cada virgula tua.
Me tornei fã depois de "adulta" mas fiz questao de revirar cada revista, jornal, site e videos que falassem sobre esse REI maravilhoso que foi MJ. Ao assistir as entrevistas me sentia bem como vc disse, com uma vontade ENORME de abraça-lo e dizer que esta tudo bem, que ele nao precisa ter medo e que pode ser ele mesmo, essa pessoa fantastica, criativa, inovadora, sensivel e especial.
Chorei quando ele se foi, chorei ao ver This Is it (como choro toda vez que assisto novamente), e sempre me comovo ao escutar o finalzinho de "Will you be there", onde ele balbucia algumas palavras muito sinceras e é possivel escutar com clareza que ele tambem chorava ao pronuncia-las...
Enfim, o planeta está MUITO mais triste e sem cor, sem o eterno REI DO POP Michael Jackson.
Um beijo, adoro seu blog, te sigo no twitter e me identifico mto com tuas ideias!
Cammys =)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Informações

Todas as imagens que aparecem no site são reproduções de outros sites e o Cai Muita Chuva não reivindica nenhum crédito para si, a não ser que especificado. Se você (ou sua empresa) possui os direitos de alguma imagem e não quer que ela apareça no Cai Muita Chuva entre em contato e ela será removida.

Atenção

Cai Muita Chuva é um site de entretenimento e humor. A reprodução do conteúdo do site é permitida, com os devidos créditos. Se tiver alguma dúvida entre em contato com caimuitachuva@gmail.com.

Por ser um blog de humor, as postagens contém ironia e sarcasmo. Não leve as piadas a sério.


Manifeste-se

Dúvidas, sugestões, reclamações, elogios, xingamentos, envios de virus ou informações, caimuitachuva@gmail.com
Blogger Template Papo De Garota